É o folclore do futuro!
 
A noite propõe o encontro de musica brasileira eletrônica, o grave brasileiro, numa fusão de estilos regionais e sonoridade urbana, atual e politizada.
A regionalidade do trio Côco de Oyá abre os trabalhos da noite que segue com a psicodelia dos Seres Hoibridos, onde o projeto ¡Venga-Venga! apresenta seu show ao vivo e performático.
 
 
VENGA-VENGA e os Seres Híbridos
 
Tropical Kitsch, uma neo-antropofagia (ele)tropicália, uma colcha de retalhos identitária: assim é a banda ¡VENGA-VENGA! e os Seres Híbridos. A investigação e criação da musica eletrônica brasileira, ou “grave brasileiro”, sob um aspecto político e multicultural, baseado na mistura. Nascida da evolução do duo ¡VENGA-VENGA! (Denny Azevedo e Ricardo Don) com músicas autorais, reunindo no palco a percussionista brasiliense Rafaella Nepomuceno e o produtor e rabequeiro paraibano Fabiano Formiga, aka Furmiga Dub.
 
Através de experiências vocais, misturando samples com suas letras próprias, as músicas representam o estilo multi-étnico apresentado pela banda que adiciona performance e live acts, resultando num patchwork global-bass cultural, incentivando a experiência sensorial e a catarse coletiva.
 
Agitadores culturais ativos na cena paulistana e brasileira, sob um estilo denominado pela banda de Grava Brasileiro, a reunião teve sua estréia em maio de 2018 nas comemorações dos 5 anos do projeto Venga Venga, na Casa das Caldeiras. Desde entao a banda ja se apresentou a Virada Cultural de São Paulo, SP na Rua e Casa do Baixo Augusta, alem do Festival Vida & Arte em Fortaleza.
 
https://open.spotify.com/artist/1hZVpY2GZXQ9JWiRhxyEs5?si=H3-vz3k-SMGRcDOH-iF6nw
https://www.youtube.com/watch?v=3JZ3_9QLIpg
 
 
Côco de Oyá
 
Oyá, orixá dos ventos e das tempestades, é a homenageada desse trio feminino. Guerreira de energia forte se aproxima mais dos terrenos consagrados tradicionalmente ao homem, assim como nos tambores das tradições afro brasileiras e indígenas, onde a presença feminina não é muito comum e em alguns casos nem é permitida. O trio é formado por mulheres que somam a força da percussão com a energia do sagrado feminino. O coco de roda é a maior influência rítmica, um estilo de origem discutível, muito conhecido no Nordeste, e disseminado culturalmente através do Quilombo dos Palmares, o nome é por conta do ritmo, inspirado na quebra do coco para retirada de amêndoas e sua forma musical é cantada acompanhada apenas por percussão.
Porém outros ritmos da cultura tradicional como coco rural, da zona da mata norte de Pernambuco, o Baianá alagoano e a Ciranda praieira estão presentes no repertório. Com canções autorais e cantigas da cultura tradicional. Com Rafaella Nepomuceno, voz, alfaia e voz, Kelli Garcia , vocal, ganzá, maracas e tamancos, Sthe Araujo, voz, caixa e atabaque.
 
https://wwwyoutube.com/channel/UCHnwJcK619V3k8UTaJCW6AQ
 
 
 
Abertura da casa: 23h
 
 
.:: Entrada:
R$0,00 _ até 00h.
R$15,00 _ após 00h
 
.:: Ingressos antecipados:
 
.:: Proibida a entrada de menores de 18 anos ::.
 
..:: Aceitamos dinheiro e cartões de débito Visa e Master ::..
 
*No dia do evento é necessário apresentar RG na porta.
**Casa sujeita a lotação.
 
 
 
Mundo Pensante
Rua Treze de Maio, 830 – Bela Vista – São Paulo – SP
Tel:. 50822657
www.mundopensante.com.br
 
 
Curta nossa fanpage e receba atualizações: https://www.facebook.com/mpensante



Leave a Reply