Oficina Online: ARTE SONORA E MÚSICA EXPERIMENTAL :: Experimentalismo e urgência
Professor: Dudu Tsuda

Introdução ::
Buscando utilizar o som de modo diferenciado, privilegiando questões que expandem os problemas típicos da música (discurso, narrativa e temporalidade), a arte sonora tem no espaço um amplo campo de exploração estética. A relação entre som e espaço permite uma multiplicidade de possibilidades poéticas – a ocupação espacial (site specific), a criação plástica, o conceito de escultura expandida, a tridimensionalidade e a sensação volumétrica, e as questões de localização geográfica – e remontam a práticas da música contemporânea
anteriores a este momento, passagens cruciais para o seu desenvolvimento como um todo.

A maior importância que as relações entre som e espaço adquirem entre as poéticas contemporâneas resulta numa crescente diversidade de possibilidades, que surgem nos mais diferentes circuitos. Neste contexto, dos anos 60 para cá, tem crescido o número de festivais, espaços e centros de produção dedicados as artes performáticas experimentais, na medida em que artistas advindos de diversas áreas passam a se interessar pela prática sonora.

É a partir dos anos 1970 que a arte-instalação passa a integrar com mais freqüência “exposições contemporâneas onde objetos, imagens artesanalmente produzidas, esculturas, fotos, filmes, vídeos, imagens sintéticas são misturados numa arquitetura, com dimensões, por vezes, até mesmo urbanísticas, responsável pela criação de paisagens signicas que instauram uma nova ordem perceptiva e vivencial em ambientes imaginativos e críticos capazes de regenerar a sensibilidade do receptor para o mundo em que vive.” (Santaella 2003: 145). Ao ponto de culminar, nos anos 90, na situação em que museus passam a incorporar
vídeo instalações, instalações multimídia e de arte sonora em sua programação. (London 2013: 08).
Período que coincide, por exemplo, com o surgimento de alguns festivais dedicados à
performance experimental e à arte sonora como o holandês Sonic Acts e o alemão Transmediale.

Objetivo do curso ::
. Promover discussão acerca da produção em Arte Sonora e Música Experimental
. Fomentar e exercitar o olhar crítico do aluno com relação a prática artística na área.
Metodologia ::
O curso englobará aulas teóricas fundamentadas em história da música contemporânea, história da arte, e na relação histórica entre Arte e Vida e Música e Arquitetura, a partir de
estudos de caso de trabalhos de instalação e performance. E paralelamente, realizaremos atividades criativas e a realização de um projeto individual de cada participante para
apresentar ao final do processo.

PROGRAMA (Descritivo aula-a-aula):
1 – Introdução
. Arte Sonora: a arte dos sons integradas no espaço
. origem e definição: Campesato
. hibridismo: Santaella, Plaza, Campesato
. efervescência cultural dos anos 60: London, Cohen
. cena de arte sonora hoje: Tsuda, London

2 – História: Pensamento e sonoridade
. Vanguardas Européias
. Arte Conceitual
. Duchamp
. Ruído :: como e quando o ruído virou arte?
. Luigi Russolo e a Arte dos Ruídos
. Música no sec. XX
. Da representação gráfica à matéria: Transição para a criação sonora a partir dos sons
. Edgar Varèse – Hyperprism 1923
. Música Concreta de Pierre Schaeffer: sons que criam narrativas
. Música eletrônica e eletroacústica de Karlheinz Stockhausen

3 – História: Pensamento e sonoridade 2
. Arte do Cotidiano
.Cinema Russo: experimentos sonoros
. Dziga Vertov
. Walter Ruttman: Weekend e o ‘cinema para os ouvidos’
. Oscar Fishinger
. Fronteiras audiovisuais :: Norman McLaren
. Apresentação da proposta de desenvolvimento de projeto artístico: Experimentalismo e urgência
. Desenvolvimento do projeto artístico individual de cada participante
. Escolha de tema dos projetos
. Discussão dos temas mediante a temática Experimentalismo e Urgência.

4 – História: Arquitetura e Música
. Arqueologia da relação entre Música e Arquitetura
. Teatro de arena: Epidaurus
. Catedral Medieval: Mavash e a integração dos sentidos e a cultura sinestésica medieval em Basbaun
. O Renascimento e a nova forma de compreensão do espaço e do tempo
. Espaço / tempo metrizado
. Primeiros experimentos sonoros no espaço
. Pionerismo na Arte Sonora e Música Experimental: Sonic Arts Union – Vespers 1968
. Iannis Xenakis, Edgar Varèse e Le Corbusier – Pavilhão Phillips 1958
. Orientação de projeto artístico: Experimentalismo e urgência
. Primeira rodada da discussão dos temas mediante a temática Experimentalismo e Urgência: o
espaço e o tempo como agenciamento.

5 – Conceito: O espaço como possibilidade de exploração estética
. Espaço e historicidade na arte sonora
. Vida e Arte no Espaço
. Wunderkammer de Erika Suderburg
. coleção
. Live Act e Performance
. environment: narrativa não causal fundamentada no espaço
. Arte Instalação: a arte de ocupar o espaço
. Auralidade: sintaxe e poéticas do espaço
. Categorias analíticas sobre espaço: considerações conceituais e terminológicas a partir de autores
de diferentes áreas como geografia, filosofia, artes plásticas, arquitetura, música e performance.
. Orientação de projeto artístico: Experimentalismo e urgência
. Segunda rodada da discussão dos temas mediante a temática Experimentalismo e Urgência: a vida cotidiana como agenciamento.

6 – Conceito: Percepção
. Processo Perceptivo
. Modalidades perceptivas
. Sinestesia : entrecruzamentos modais
. Imagens Sonoras: o espaço auditivo de Mc Luhan e Carpenter
. Percepção do Som
. Traité des Objects Musicaux: as quatro funções da escuta de Schaeffer
. Nove modos de ouvir de J.J. Moraes
. Tríade de Roland Barthes: escuta índice, escuta dos signos, escuta que não visa signos
determinados
. Percepção do Espaço
. Sentido kinestésico de Kevin Lynch e Hanoche-Roe
. Orientação de projeto artístico: Experimentalismo e urgência
. Terceira rodada da discussão dos temas mediante a temática Experimentalismo e Urgência: a
percepção como agenciamento.

7 – Reflexões sobre experiências no Espaço: Estudos de caso I
. Espaço Auditivo e o Cinema: Sinfonia para Espaço Abertos Opus no 08 (Dudu Tsuda / Bragança
Paulista 2009)
. Composição Audiovisual no Espaço: acaso e aleatoriedade em Bulbes (Artificiel / São Paulo 2004) e
From Here to Ear (Céleste Boursier-Mougenot – 104 Par Nature / Paris 2012)
. Auralidade e Site Specific em Echo (Su-Mei Tse) e Plight (Joseph Beuys / 1985)
. Territórios Sonoros / semânticos em Les Chants des Sirènes (Claudio Bueno – 2010) e em Memórias
Invisíveis (Dudu Tsuda / 2008)
. Acústica e Semântica em Plis/Replis (Robin Meyer)
. Site Specific e Arte Relacional em Promenade (Dudu Tsuda / Paris 2013)
. Performance para espaço público Estudo para o tempo suspenso Ma (Dudu Tsuda / La Paz 2016)
ARTE / VIDA
. Performance e composição audiovisual no espaço: Apresentação AO VIVO da performance AV
Incertezas (Telemusik 2017)
. Discussão em grupo sobre o conteúdo estudado e as técnicas apresentadas.
. Orientação de projeto artístico: Experimentalismo e urgência
. Quarta rodada da discussão dos temas mediante a temática Experimentalismo e Urgência: a
composição espaço temporal.

8 – Em cena
. Apresentação dos trabalhos desenvolvidos


Data: 28/10, 04, 11, 18, 25/11, 02, 09 e 16/12 – quartas-feiras, das 19h às 22h

Local: Sympla

Investimento: R$ 320
Combo: R$ 450
(Oficina Online: Criação musical – a Improvisação como Essência com Guizado +
Curso Online: ARTE SONORA E MÚSICA EXPERIMENTAL :: Experimentalismo e urgência com Dudu Tsuda )

Inscrições: http://bit.ly/2810tsuda


Lab Mundo Pensante
WhatsApp:. 11 952222661
www.mundopensante.com.br
Curta nossa fanpage e receba atualizações:
https://www.facebook.com/labmundopensante
www.instagram.com/labmundopensante