CINE VOLVER _ Cartografias do Cinema
KRENAK, SOBREVIVENTES DO VALE
Dir. Andrea Pilar, Matilha. Brasil, 2018

Eles são caçados há 519 anos. Expulsos de suas terras. Jogados em um presídio, assassinados e torturados. Sua floresta desapareceu sob os trilhos que invadiram seu território. Sua terra virou deserto, devorada pelo pasto. A lama tóxica matou o rio sagrado. E quando tudo o que resta é o sonho de demarcação da montanha templo de seus rituais, o futuro nunca pareceu tão trágico.

A jornalista diretora da Matilha Conteúdo & Imagem criou e dirigiu em 2018 o documentário Krenak , Sobreviventes do Vale que conta a saga do Povo que luta há 519 anos para sobreviver. A série Guerreiros da Floresta, produzida pela Santa RitaFilmes e em exibição pelo Futura foi outra realização em 2018. Foram 4 meses de produção na Amazônia que resultaram em 13 episódios sobre a luta de 3 líderes para manter a floresta viva. Em 2017 criou e dirigiu Krenak, Vivos na Natureza Morta, exibida também no Futura. A imersão por um mês no Vale do Rio Doce mostrou o impacto do rompimento da barragem da Samarco sobre o Território Krenak.

_________________________________________

CINE VOLVER – Cartografias do Cinema

Quinzenalmente no Lab MP, o Cine Volver exibe produções de um cinema artesanal. Para além da visibilidade às pautas e aos movimentos sociais minoritários, o Volver é plataforma para suas representatividades. Um cinema menor, no dizer de Deleuze, feito e protagonizado por mulheres, crianças e adolescentes; gays, lésbicas e transgêneros; povos originários, refugiados e migrantes; negros e quilombolas; povos do campo, das periferias e das bordas. Um cinema eco-centrado e inumano que afirma as vidas animais, vegetais e minerais. Registros e manifestos de uma arte produzida com recursos singulares, que seja ética em sua estética.

Uma roda de conversa quente é aberta entre autores, técnicos, personagens e público. A mediação de Rodrigo Reis, curador do Volver parte de uma questão cartográfica: o que o filme faz com quem faz o filme?

Rodrigo Reis
Esquizoanalista; compositor com pesquisa e produção voltada para a Eco-música; pesquisador no Instituto de Artes da Unesp, onde organiza o Núcleo de Estudos sobre Novas Metodologias de Pesquisa em Artes. Desde 2003, agencia o Ecosofia – rede heterogênea, autônoma e colaborativa de estudo, pesquisa e ação, que articula Arte-Klínica-Micropolítica em espaços públicos, culturais e educativos.


• Data: 10/07 – quarta, às 20h

• entrada gratuita

Lab Mundo Pensante
Rua Treze de Maio, 733 – Bela Vista – São Paulo – SP
Tel:. 5082-2657
www.mundopensante.com.br